01 maio, 2016

II CONGRESSO INTERNACIONAL DO UNIS/MG


Olá alunos e amigos do blog, estou muito feliz! Visando à conclusão do meu curso de Pós-Graduação em EDUCAÇÃO APLICADA À PERFORMANCE MUSICAL, meu artigo foi submetido ao IX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO do UNIS/MG e foi aprovado pelo Comitê Científico, ficando marcado para o dia 14 de maio, na Cidade Universitária do UNIS em Varginha/MG, a exposição oral deste.

O IX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO traz a publicação de trabalhos em diversas áreas de conhecimento dentro de um evento ainda maior que é o II CONGRESSO INTERNACIONAL, que tem caráter científico e oferece no decorrer de uma semana, prática, teoria e cultura para a comunidade acadêmica, profissional e para a população em geral, fomentando o debate e a troca de experiências entre pesquisadores e empresários de várias partes do mundo.

Alunos e professores de vários estados do BRASIL e também da ARGENTINA, BOLÍVIA, CHILE, ESTADOS UNIDOS, PARAGUAI e PORTUGAL se reunirão entre os dias 13 e 20 de maio para o II CONGRESSO INTERNACIONAL do UNIS/MG. Entre eles estou eu.

O tema do meu artigo é A EDUCAÇÃO MUSICAL NA IGREJA EVANGÉLICA: A MÚSICA NA CATEDRAL METODISTA EM VALENÇA/RJ.

Acho que sou o único valenciano congressista. Mas não estou sozinho, juntos estão Deus e minha esposa, Patrícia Pinheiro (os dois que sempre estão). Levo minha família, alunos e amigos e desta vez levo representativamente a cidade de Valença/RJ e a história musical da Catedral Metodista de Valença/RJ, onde congrego.

Por favor, estejam orando por mim, para que eu obtenha êxito em mais esta etapa. Abaixo coloco o resumo do artigo, para que vocês possam se inteirar do tema:



A EDUCAÇÃO MUSICAL NA IGREJA EVANGÉLICA: A música na Catedral Metodista em Valença/RJ



RESUMO

Ao analisar a música que é executada em uma igreja é necessário considerar alguns fatores, que vão desde sua origem e objetivos às influências externas que podem vir de contextos sociais, culturais ou midiáticos. O presente trabalho busca analisar através do método dedutivo de abordagem, o fazer musical de uma igreja, especificamente a igreja metodista em Valença, considerando as influências que sofreu durante os anos e como estas colaboraram ou não na educação musical dos envolvidos. Na busca de obter generalizações, e considerando ainda não haver um registro específico sobre as atividades musicais da igreja metodista em Valença, tornou-se necessário abordar não só os documentos da igreja local, mas ainda sua contextualização com a sociedade, baseando-se no método monográfico de procedimento para isso. Para tanto, buscou-se em livros, revistas, jornais e documentos oficiais da igreja metodista uma compreensão maior da música na igreja em cada época citada. Considerou-se ainda entrevistas com membros e com familiares de membros antigos da referida igreja, que embora não foram utilizadas diretamente na apresentação do trabalho, serviram de norte para a busca das informações necessárias para fazê-lo, já que esse trabalho tem a finalidade de que o conhecimento do passado musical da referida igreja traga luz a acontecimentos presentes e permita um direcionamento melhor para a educação musical num futuro.



24 abril, 2016

PERCUSSÃO CORPORAL NA MUSICALIZAÇÃO INFANTIL


Turma de Musicalização Infantil
Aos domingos temos nossas aulinhas de Musicalização Infantil, e confesso que me amarro de montão e fico contando os dias para encontrar com essa turma de novo. Primeiro porque vejo o crescimento musical deles a cada aula e depois porque me divirto muito, mas muito mesmo!

Na aula de hoje o assunto foi PERCUSSÃO CORPORAL. Expliquei um pouquinho que para fazermos música não precisamos obrigatoriamente dos instrumentos tradicionais que eles conhecem: violão, bateria, etc... Falamos da importância do RÍTMO e que o entendimento dele não nos seria útil apenas naquela aula, mas também pros que tinham intenção de tocar teclado, violão e até cantar. Sem ritmo, isso seria desastroso.
Turma de Musicalização Infantil

Turma de Musicalização Infantil
Falei sobre o trabalho de dois amigos meus que são fabulosos no que fazem e apresentei alguns de seus exercícios. O primeiro foi MARCELO SERRALVA, amigo de faculdade e que dispensa apresentação para quem trabalha com música e crianças. Você pode conhecer mais sobre seu trabalho no MUSIQUEDUCANDO. Comecei apresentando a canção O SAPO, que trabalha a acentuação ritmica em cada sílaba das frases de uma parlenda. Utilizando a divisão em 4 tempos acentuei hora um tempo, hora outro e fomos escolhendo as crianças para virem a frente e demostrarem ter entendido o exercício. Acho ótimo começar por este exercício pois facilita o entendimento de que a acentuação ritmica pode mudar toda a levada e também que não é tão fácil fazê-lo, como se pensa.

Após esta pude entrar em JACARÉ NÃO TEM CHULÉ, do próprio Marcelo. Na noite anterior quando conversei com Marcelo e disse que ia apresentar esta música na aula, ele disse, rindo: "As crianças adoram essa!". Tinha razão, as crianças amaram!

Turma de Musicalização Infantil
Também apresentei o trabalho de IGOR SIQUEIRA e o que aprendi com ele num curso de musicalização infantil. A metodologia utilizada por Igor é a de memorizar uma frase e utilizando a própria divisão rítmica da frase ao ser declamada,montar uma percussão corporal em cima. Esta forma de trabalhar faz com que se memorize os movimentos ritmicos que se deve fazer só de lembrar da frase, e o engraçado é que ao findar da aula, teve criança que saiu gritando a frase no corredor:  "EU FUI À FEIRA PRA TOMAR CAJU!". Enfim, estas aulas alegram meu domingo!!!

22 abril, 2016

WORKSHOP DE BATERIA - CAMILO MARIANO E RENATO BARRETO


Camilo Mariano
Este BLOG tem andado um pouco parado, né? Bem, não é por falta de assunto e sim por falta de tempo de escrever, mas vamos ver se consigo botar as coisas em dia por aqui e vamos escrevendo o quem tenho participado neste 2016.


Camilo Mariano
Todos sabem que tudo que está relacionado à educação e à música me interessa e claro que não busco apenas informação sobre os instrumentos que trabalho. Desta vez fui aprender um pouco, quer dizer, muito, num workshop de bateristas numa cidade próxima daqui: Volta Redonda/RJ.

Renato Barreto


 



O workshop aconteceu numa terça-feira e foi promovido pela loja de música SOULMUSIC, que com o apoio da ORION trouxe à Volta Redonda o Baterista CAMILO MARIANO, endorsee da marca, que tem em seu currículo trabalhos com ícones da MPB numa extensa lista de artistas, com nomes como Tim Maia, Elba Ramalho, Maria Rita, Alcione, Paulinho da Viola,  Beth Carvalho, Alexandre Pires, Diogo Nogueira... Atualmente está trabalhando com o Sorriso Maroto.



Renato Barreto
Também abrilhantou a noite o baterista do Madame Zero, RENATO BARRETO de Barra do Piraí, que trouxe, em suas próprias palavras: "um pouco do que tem ouvido ultimamente...". Renato explica um pouco sua apresentação: "Toquei 6 músicas no total. Primeiro bloco com 3 de uma banda chamada REIGN OF KINDO (Nigthingale, Psalm e Bullets In The Air). O segundo bloco foram 2 do DIRTY LOOPS (Rolling In The Deep da ADELE e Baby do JUSTIN BIEBER). A última música do bloco foi Outlier da banda SNARKY PUPPY'.


Pinheiro e Camilo Mariano
O "Pianos Bar Embaixador" contou com a presença de músicos de várias cidades da região (Volta Redonda, Barra Mansa, Barra do Piraí, Resende... e claro, euzinho de Valença) e também eu não era o único que não dominava as baquetas que estava lá, tinham baixistas, violonistas, tecladistas e outros "istas", além de claro, os bateristas, mostrando que os músicos há muito aprenderam que é necessário prestigiar eventos como esses, independente de serem diretamente ligados ao seu instrumento de cabeceira.




Houve ainda sorteios de brindes e todos os presentes ganharam tickets de desconto para aquisição de produtos da Orion na Soulmusic. Enfim, aguardo mais eventos como este e parabenizo aqui a Soulmusic pela iniciativa. Foi dez!!!!