02 janeiro, 2006

Almir Chediak...

Bem, aproveitando que estava falando do livro do Chediak, lembrei de um caso legal para contar. Tenho uma amiga, que tem uma tremenda voz e que se amarra em MPB. Ela chegou a ter umas aulas com o Almir Chediak quando era adolescente. Bom, o tempo passa, o tempo voa... e depois de anos a vida deu umas voltas e eles voltaram a se encontrar e tal.

Uma vez eu estava tocando em um restaurante aqui da cidade, o Araras, do meu amigo Guilherme, e a tal amiga tava na cidade, a gente aproveitou pra conversar e matar a saudade. Ela falou dos feras da música que frequentavam a casa dela, afinal de contas o Almir Chediak é o pai dos songbooks, então imagina só, Djavan, Caetano, Gil, Chico Buarque... só nata!


Mas tem alguns "causos" também. Como o da arrogância que o Tim Maia tinha, que várias vezes no final dos shows (quando ele ia, é claro! he, he, he!) ele ia pra casa deles (do Chediak e dela) e ela tinha que madrugar para preparar um cafezinho, na maior boa vontade. Só que no final ele sempre terminava dizendo: "Isso não é café! Vamos lá pra casa pra gente tomar um café de verdade!" Isso é que é ser deselegante, hein!

Mas também tinha os "gente fina", como o do Chico Buarque que quando soube pelo Almir que ela cantava, chamou ela para gravar um back vocal no disco que ele estava gravando na época; ela falou que tremeu na base (e quem não tremeria?) mas que recusou, achou que não tinha cacife!

Bem, acho que vou deitar e me preparar para um novo dia. Afinal de contas como já cantarolava Chico: "Amanhã vai ser outro dia! Amanhã vai ser outro dia..."
Postar um comentário