03 junho, 2006

O Violão e a Bateria
















Um segredo muito bem escondido pelos profissionais das cordas - e a maioria não gosta de revelar seus segredos - é a comparação entre a bateria e as batidas no violão. Observando bem, podemos exprimir melhor o acompanhamento fazendo um paralelo entre os dois.


A figura acima é um molde de uma bateria comum.

A que dizer, porém, que existem várias configurações de baterias, de acordo com o número de peças compostas nela.

Entretanto, as peças principais são as demonstradas na gravura aqui.

A partir daí é possível imaginar o funcionamento do sistema de batidas.

Só para efeito de informação, o pedal da zabumba é tocado pelo pé direito e o do chimbal, com o pé esquerdo. Os pratos, os tambores e as caixas são batidos com as baquetas.

1. A batida no pedal da zabumba da bateria pode ser seguida pelo toque do polegar nos bordões dos acordes. Não é à toa que por isso, o contra-baixo das bandas tocam seguindo esta linha.

2. A puxada no chimbal (miniaturas de prato que se toca com um pedal para o pé esquerdo) é perfeitamente representada com uma puxada nas cordas de base.

3. A batida na caixa pode ser tocada no violão com uma batida nas cordas-base de cima para baixo

4. Na hora do repique - também chamado de breque - em que o baterista faz uma seqüência de batidas nos tambores, o violonista pode fazer uma seqüência de dedilhado bem rápido nas cordas-base (de cima para baixo e depois ao inverso) como que cada toque em uma corda fosse um tambor. Como geralmente o último toque - ou os últimos toques -- do repique se dão nas caixas da bateria, no caso do violão, é possível imitar isso com toques de caçoleta nas cordas intermediárias dos acordes.

5. A leve batida na beirada da caixa é similar a uma caçoleta leve sobre uma ou mais cordas-base, mais para matar seu som da batida anterior do que para tocar suas notas.


Fonte:
Texto extraído da apostila "Chegou a Vez de Estudar os Rítmos para Violão" retirada da net.
Postar um comentário