07 setembro, 2010

EXPOMUSIC 2006 - O INÍCIO!


Olá abençoados!! Como todos sabem, e se não sabem fiquem sabendo agora, já faz alguns anos que eu e o Igor Almeida vamos com alguns alunos para a  EXPOMUSIC em São Paulo, e sempre surgem dúvidas por parte da galera que vai com a gente. Qual o melhor dia pra ir? Quanto devo levar de grana? O que rola de bom lá? Etc...

 Resolvi escrever um pouco sobre a EXPOMUSIC, porque assim economizo tempo ao não ter que responder as mesmas perguntas toda hora pra pessoas diferentes. E às vezes pra mesma pessoa. Neste primeiro post vou falar de como tudo começou, nos seguintes falarei sobre gastos, documentação, comida, músicos e dicas sobre como aproveitar melhor a viagem.



Tudo começou em 2006. O primeiro ano que fomos pra EXPOMUSIC.

Eu sempre comento nas aulas sobre o que tem acontecido de música pela região, como festivais, shows, lojas de instrumentos abrindo, e por aí vai. Lembro-me de ter falado com os alunos sobre a Expomusic, embora eu nunca havia ido. Só conhecia por revistas especializadas. Uma vez fui convidado pela galera da banda APOLOGIA, que tinham entre outros feras, alguns alunos meus na época: Thiago Xisto, Douglas Lacerda, Rodrigo Pixuim... Eles estavam saindo daqui com uma van para Sampa e me ligaram pois tinham segurado uma vaga pra mim, mas estava no Rio de Janeiro e não pude ir.

Quando falei com a galera sobre a EXPO eles ficaram doidos pra ir, lógico. Mas confesso que achei que não teríamos essa chance. Não sei quanto tá a passagem de Valença/RJ pra São Paulo, mas penso em algo como R$ 60,00. Pensando assim gastaríamos R$ 120,00 só de passagem. Mais o valor da entrada lá R$ 10,00 na época, mais uma graninha pra comer... Bem, a verdade é que achei que ficaria caro e sequer ventilei a possibilidade de irmos. Mas os alunos começaram a botar pilha e eu fui ver preço de VAN. Não saía tão caro assim se a gente dividisse o valor da VAN. Assim fizemos!! Quem foi com a gente neste primeiro ano foi o Nenéu e sua VAN, e a galera dos alunos: Rita Barreto, Igor Almeida, Gleidson Carvalho, Samuel Jr, Daniel Argolo, Ivan Maia e Fabiano Alves e nosso amigo o batera Marcus Netto. (Tô esquecendo alguém?)

Neste primeiro ano nós ficamos maravilhados com a possibilidade de conversar com músicos que achávamos inacessíveis pra nós do interior.Não tô falando aqui de tietagem não, tô falando da possibilidade de conversar com Nelson Faria, Mozart Mello, Max Vianna, Juninho Afram... E eu fiz isso!! E cada aluno conversou com aqueles os quais admirávamos seu trabalho. O Marquinho Alemão (Marcus Netto) ficou gastando saliva com a grande bateirista Vera Figueiredo num dos Stands e chegou a ganhar dela baquetas e camisa. Ele não parava. A ponto da Rita ficar preocupada e comprar garrafas de água pra entregar pra ele, porque ele não parava nem pra beber água!

A Rita Barreto (a primeira aluna que foi com a gente pra EXPO) que embora fosse aluna de violão sempre teve uma queda pelo contrabaixo, ficou mais apaixonada ainda pelo baixo vendo Celso Pixinga tocar. Ela ainda me ajudou a trocar uma palavras e a tirar uma foto com o batera do Living Colour, Will Calhoun. Como não saco inglês ela fez a ponte.

Pegamos muitos brindes. Acho que essa primeira Feira nossa foi a que mais pegamos brindes. Palhetas, revistas, adesivos, testamos intrumentos, Cds promocionais, capacetes (alguém se lembra da KGB?), etc. O Igor ainda foi sorteado com uma BAG de guitarra.



O Ivan Maia conseguiu falar com o André Mattos, com Eduardo Martinez e com o Rafael Bitencourt, e voltou extasiado!




O Gleidson Carvalho foi pilhado pela turma que o chamava de Juninho Afram e ficávamos pedindo autógrafos a ele. Nos divertimos muito.






Claro que tinham muitos feras lá, e curtimos muito!  
Mas dos vários feras com os quais conversei, o que mais me deixou admirado foi o Nelson Faria, pois enquanto conversávamos, ele recebeu uma ligação e educadamente me pediu licença para atendê-la. Era um convite de outro músico para tocar com ele num dos Stands da Feira. Ele conversou ao telefone e ao acabar me pediu desculpas por ter interrompido a nossa conversa. Ainda falou: "Celular é uma coisa muito sem educação, ele toca no meio de uma conversa e acaba te interrompendo!" Cara, depois dessa, além de admirar ele como o grande músico que é, ele cresceu no meu conceito. Sem palavras!

 Pra que vocês tenham uma noção de quem é Nelson Faria, vejam um trecho do release retirado do site dele: "O nome de Nelson Faria aparece em mais de uma centena de discos, tendo trabalhado ao lado de João Bosco, Cassia Eller, Zélia Duncan, Milton Nascimento, Toninho Horta, Tim Maia, Leila Pinheiro, Paulo Moura, Ivan Lins, Wagner Tiso, Edu Lobo, Fátima Guedes, Gonzalo Rubalcaba, Lisa Ono, Baby do Brasil, Maurício Einhorn entre outros, acumulando no currículo apresentações em quase todo o Brasil, no Japão, Estados Unidos, Israel , Argentina, Portugal, Espanha, França, Alemanha, Áustria, Macedônia, Itália, Turquia, Suécia, Noruega, Dinamarca, Lithuania, Finlandia,  Suíça, Holanda, Slovênia, Bósnia, Inglaterra, Ilha de Malta, Ilhas canárias e Ilha da Madeira".

Mas vamos dar prosseguimento a parada! Pararei por aqui, porque só queria mesmo apresentar pra vocês como tudo começou pra gente. Com certeza tenho muito mais pra falar! Inté o próximo tópico sobre a EXPOMUSIC!!! Aguardem...




Fatos e Fotos:
  1. Daniel Argolo / Samuel Jr. / Igor Almeida / Gleidson Carvalho / Ivan Maia / Rita Barreto / Fabiano Alves
  2. Galera na VAN do Nenéu
  3. Ivan Maia fazendo valer as aulas de piano
  4. Show no Music Hall
  5. Marquinho Alemão (Marcus Netto) procurando mais Stands
  6. Pinheiro e Will Calhoun do Living Colour
  7. Ivan Maia e Eduardo Martinez, guitarra do Hangar
  8. Rafael Bittencourt guitarra do Angra
  9. André Mattos vocalista do Angra
  10. Gleidson Carvalho e Igor Almeida
  11. Daniel Argolo e Marcelo Barbosa guitarrista do Almah
  12. Edu Ardanuy guitarra do Dr. Sin e Samuel Jr
  13. Nelson Faria e Pinheiro
Postar um comentário