18 abril, 2006

Filosofando!!!

Hoje foi dia de conversa. Não sei se porque ficou aquela chuvinha chata o dia inteiro, as pessoas tendem a se assossegar num canto e filosofar mais, não sei... Mas o fato é que: "É conversando que se entende!", e de conversar a gente entende. Falamos sobre os "porquês" de se ter aula de um instrumento qualquer, sobre o tempo que se leva pra aprender e sobre o tempo que nós gastamos dedicando à aprender. O preço que se paga por isso, algumas vezes em grana, outras em tempo e outras ainda em abrir mão de uma coisa ou de outra. Enfim... Fiz muitos amigos por conta da música, inimigos acho que nenhum. Dediquei muito do meu tempo à ela, se tivesse mais tempo, dedicaria mais. Hoje trago à memória as coisas que me alegram: Bons alunos, bons amigos, muitas lembranças boas, muita conversa, muita conversa, muita conversa...
Por isso sei que, de bons músicos, além de prática e teoria, tem muito de amizade e conversa. Gaste um pouco do seu tempo conversando com alguém que também esteja aprendendo um instrumento. Qualquer um! De Tuba à Xilofone! Mas converse, troque experiências... Faça perguntas a pessoas que têm mais experiência que você no assunto, por mais tolas que as perguntas possam parecer. E outra coisa, sempre respeite à opinião dos outros. Principalmente dos mais antigos. Tive um professor, dos muitos que tive, que toda vez que nos encontrávamos na rua, eu tinha uma pergunta para fazer. Algumas delas ele até ria. Era o Seu João. A gente chamava ele de Seu João Batata. Pai do também músico e também bom, Cláudio Morgado. Tocava saxofone e também chegou a me dar aulas de Contabilidade Pública, mas dessas eu não me lembro de mais nada. O fato é que dessas perguntas na rua, que chamavamos de "aulas de cinco minutos", ele me perguntou: "Já que está tão interessado em saber de música, não quer fazer umas aulinhas comigo?" Bem, foram momentos da minha vida que tive o belo prazer de estudar um pouquinho sobre Teoria Musical. Conversávamos muito, é claro! As oportunidades também aparecerão para você. Fique ligado! E quando ela surgir, abrace-a! Mas não se esqueça de que muitas delas vêm num simples e despretensioso bate-papo. Converse...
Postar um comentário